História do CSMA


2007

  • O CSMA participa na Conferência para o Compromisso Cívico em Santarém, organizada pela Presidência da República, sendo uma das cerca de uma dúzia de instituições distinguidas a nível nacional com este convite, na sequência do Roteiro para a Inclusão.
  • O projecto Montes Altos é objecto de tese de mestrado, sendo defendida publicamente por Jaime Salvadinho tendo obtido a classificação de Muito Bom.
  • Paula Martins, encarrergada-geral do CSMA é distinguida, entre cerca de 700 concorrentes a nível nacional, com o Prémio Mulher Activa, pela sua capacidade de luta contra adversidades pessoais e pelo trabalho solidário desenvolvido no âmbito do Centro Social de Montes Altos.

2006

  • Programa Leader +: ajardinamento e embelezamento da zona exterior adjacente ao Centro Social dos Montes Altos.
  • Atribuição do Prémio Nacional de Solidariedade ao CSMA pela Caixa Net.
  • Visita do Presidente da República no âmbito do Roteiro para a Inclusão.

2005

  • Constituição da Empresa de Inserção (área de higiene habitacional).
  • Constituição da Associação de Trabalhadores do Centro Social dos Montes Altos, destinada a criar um fundo comum para os trabalhadores destinado a apoios na área da saúde.

2004

  • Aprovação e implementação do projecto de Desenvolvimento Sócio-comunitário “Renascer”, no âmbito do Programa Operacional Emprego, Formação e Desenvolvimento Social (POEFDS), incidindo nas freguesias de Santana de Cambas e Corte do Pinto.
  • Aprovação e implementação do projecto Montes @ltos, no âmbito do programa Clique Solidário (POSI), combate à info-exclusão.
  • Apoio técnico e logístico a algumas entidades, tendo em vista construção de novos equipamentos sociais no concelho, designadamente à Casa do Povo de Santana de Cambas.

2003

  • Produção do livreto “10 anos de Vida”, alusivo à comemoração dos 10 anos de existência da instituição.
  • Parceria com o IEFP no apoio técnico e logístico à organização de uma acção de formação profissional na área de Jardinagem.

2002

  • António Diogo Sotero foi distinguido com o Prémio Nacional, pelo seu trabalho solidário, mormente junto da população idosa, enquanto cidadão e presidente da Direcção do Centro Social dos Montes Altos.
  • Programa Leader +: apetrechamento das instalações do CSMA com equipamento mobiliário e aparelhos de climatização.

2001

  • Inauguração do Lar de Terceira Idade a 24 de Fevereiro de 2001.
  • Edição do livro Montes Altos: luta contra o destino.
  • Criação da segunda Empresa de Inserção do CSMA – Separar as águas, na área da Lavandaria.
  • Primeira comparticipação da Segurança Social para alguns dos utentes abrangidos pela valência de Internamento em Lar, o que permitiu atenuar as extremas e naturais dificuldades financeira que a Instituição experimentava.
  • Revitalização da cerimónia tradicional religiosa, entretanto perdida.

2000

  • Aprovada e constituída a primeira Empresa de Inserção do CSMA, Solidários e Construtores, na área da Construção Civil, que integrou 11 indivíduos em situação de desfavorecimento social.
  • Aprovação e implementação do projecto de Desenvolvimento Sócio-Comunitário “…entre o Chanca e o Guadiana…”, no âmbito do Programa Iniciativa Piloto de Promoção Local de Emprego no Alentejo (PIPPLEA).
  • Aprovado o projecto “Gente boa quer a gente para servir a nossa gente”, no âmbito do programa formação-emprego do IEFP, tendo sido iniciada a formação em Geriatria para 16 indivíduos desempregados.
  • Conclusão das obras do Lar de Terceira Idade.
  • Edição do livro Testemunhos, no âmbito do projecto “…entre o Chanca e o Guadiana…”: recolha de testemunhos dos que participaram no projecto Montes Altos.

1999

  • Prosseguimento das obras do Lar.
  • Incremento da actividade de acompanhamento psico-social de indivíduos com problemáticas diversas.
  • Elaboração de candidaturas a diversas linhas de financiamento.
  • Programa Leader MEG: aquisição de material de escritório (cadeiras, secretárias) e informático.

1998

  • Integração de três jovens no âmbito do Programa Jovens Voluntários para a Solidariedade (Instituto Português da Juventude), em parceria com a Rota do Guadiana.
  • Encenação de uma peça de Teatro – Um dia na vida de uma família mineira, da autoria de Diogo Sotero, em que idosos, funcionários e dirigentes participaram como actores.
  • É sistematizado e consolidado o trabalho de terreno do CSMA nas freguesias Corte do Pinto e Santana de Cambas, através das parcerias com a Rota do Guadiana e ADPM.
  • Inserção social de deficientes: começa o trabalho do Centro nesta área, através da integração de um indivíduo deficiente, em parceria com a Cercibeja.
  • -Comparticipação da Segurança Social para 10 utentes na valência de Centro de Dia.
  • Início das obras de construção do Lar de Terceira Idade, com formandos do curso de formação especial promovido pela ADPM (componente prática do curso). Estes indivíduos, como outros que se juntaram a posteriori, apresentavam problemas de vária ordem, desde alcoolismo, toxicodependência, disfunções familiares várias, entre outros.
  • Realização da Exposição “Faz mais quem quer do que quem pode!” fotografias antigas e actuais, trabalhos artesanais de outros tempos e de agora, referentes a Montes Altos.
  • O CSMA passa a ter Director Técnico.

1997

  • Obras de adaptação no Centro Social dos Montes Altos.
  • Inauguração do equipamento destinado a suportar as valências de Centro de Dia e de Convívio.
  • Colaboração em regime de parceria com a Associação de Defesa do Património de Mértola (ADPM): apoio logístico no transporte dos formandos de um curso de formação especial (Integrar, medida 2).
  • Sinalização de indivíduos, famílias e situações-problemas para a Associação de Desenvolvimento Local, Rota do Guadiana.
  • Os idosos passaram a receber apoio psicológico.
  • Elaboração do projecto de arquitectura do futuro lar de Montes Altos.
  • O número de associados ascendeu a 350.

1996

  • Apoio social: Alargamento da área de deslocações até Beja.
  • Aumento do número de serviços prestados e dos beneficiários abrangidos.
  • Construção Civil: garagem, divisões interiores, placa, telhado, electrificação e canalização.
  • Extenso leque de voluntariado (designadamente na construção civil, o que permitiu contornar os elevados custos associados às obras).

1995

  • Número de associados ascendeu a 270.
  • A Associação é reconhecida como IPSS.
  • Desenvolvimento dos serviços de Centro de Dia e Apoio Domiciliário (não comparticipados), associado ao maior volume de algumas actividades, tais como o tratamento de roupas e confecção de refeições.
  • Obras de ampliação na escola: construção do bar.
  • Lançamento de dois livros: Das Minas ao Pomarão (Heitor Domingos) e Monografia de Montes Altos (da autoria de António Diogo Sotero, Presidente da Direcção do CSMA).

1994

  • Número de associados ascende a 240.
  • Foi implementado o Centro de Convívio (ainda não comparticipado pela Segurança Social).
  • Novos equipamentos: arca frigorífica e televisão a cores.
  • Depois do total esquecimento, Montes Altos aparece na imprensa regional.
  • Construção civil: feitura de uma chaminé; cimentação do átrio; pinturas e caiações; canalizações; renovação do sistema eléctrico; construção dos balneários e sanitários públicos.
  • Actividades Culturais: Natal, Páscoa, Ano Novo e I Jornadas Culturais de Montes Altos (de alto valor simbólico, pois proporcionou o reencontro de várias pessoas do Monte, a esmagadora maioria naturais não residentes).
  • No terreno social passou a haver maior sistematização e regularidade nos procedimentos.

1993

  • Foi fundado o Centro Social dos Montes Altos a 31 de Agosto. A sede foi uma das antigas escolas primárias da povoação, entretanto desactivada.
  • É iniciado o trabalho na área social com uma pequena viatura, iniciando-se o apoio aos residentes na povoação, particularmente os idosos (deslocações a Mértola e à Mina de São Domingos para efeitos de saúde, resolução de assuntos burocráticos e outros).
  • Aquisição dos primeiros equipamentos: televisão (a preto e branco), telefone e carrinha de nove lugares (cedida pela Câmara Municipal de Mértola).
  • 160 Associados.
  • É solicitado junto do Centro sub-regional de Segurança Social o estatuto de IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social).
  • Surgem as primeiras reivindicações: alcatroamento da estrada que liga Montes Altos à Mina de São Domingos.